quinta-feira, 8 de maio de 2008

Eu ainda sou do tempo em que se sobrevivia a saídas nocturnas...

Há alguns tempos atrás falei aqui das vantagens de viver no campo. E repito que tenho uma qualidade extrema que não consegui ter nunca na espécie de cidade onde vivi. Mas toda esta região é interior e muitos dos amigos de infância, para não dizer todos, deram de frosques e deixaram-me aqui abandonada! Sente-se o peso que isso teve na carteira dos amigos… ou direi mais conhecidos. Agora, para quem adora o lado nocturno da coisa isto é patético mas verídico – saímos com a esperança de ver alguém do nosso tempo, conhecido, com idades superiores a 8 anos e voltamos para casa sem vontade de repetir tão depressa! Há uns tempos fui até ao bar onde há 10 anos atrás era encontrada 365 dias ao ano. Foi para lá que fui na primeira noite de Natal em que sai e onde nessa mesma noite fiquei a ajudar no Bar do grande Marinho até às 6 da matina! Quando lá cheguei fiquei sem me aperceber à espera que desse a musica dos Patinhos para todas aquelas crianças que aparentavam 10 anos e tinham meio metro de altura (olha eu na superioridade do meu 1,76!!!) fossem para casa. Daí hoje me decidir muitas vezes a ficar por casa, ver um filme, fazer um belo dum petisco com um belo copinho a acompanhar! Mas ficam as saudades de dançar até cair e chegar a casa de óculos de sol já na cara.

3 comentários:

Danni disse...

E olha que todas as minhas Noites Templárias terminaram com sola iluminar o caminho de regresso a casa! eheheh. Saudades

Sorrisos em Alta disse...

Também tenho saudades disso!
Já desde ontem que não o faço!!!
Ehhhhhhh... por falar nisso... tenho que ir dormir um bocadito, que já é quase meio-dia!!!

Bjocas (depois de meter nojo e fazer inveja!!!)
;o)

pedroecristina disse...

Sorrisos em Alta

Achas bem??? A meter nojo e de duas maneiras - primeiro porque te divertes em festas altamente - segundo porque vais dormir à hora que eu acordei! lol - jinhos